Especial Agatha Christie 125 anos: Lugares perfeitos para matar e morrer

Para mim, não existe nenhuma cidade litorânea no sul da Inglaterra mais bonita do que St. Loo. Com o merecido título de Rainha das Balneárias, ela lembra muito a Riviera. A meu ver, a costa da Cornualha é tão fascinante quanto o sul da França. 
 Capitão Hastings, In A casa do Penhasco


Torquay antiga


Existem lugares que nunca fomos, mas suas descrições em livros e filmes, nos fazem conhecê-lo tão bem como se tivéssemos passado várias temporadas lá. Todos têm seus autores e livros preferidos e cada um faz essa viagem a sua própria maneira. Em muitos casos, podemos viajar (de verdade) e conhecer tais paragens. Em outros casos, os lugares são apenas frutos da imaginação de quem os escreveu.  


Como estamos falando de Agatha Christie, a quantidade de lugares é enorme, tanto entre os reais (cuja veracidade não pode ser ignorada, como Londres, Bagdá, Mesopotâmia ou a Riviera Francesa) e os criados por sua imaginação frutífera. St. Mary Mead, local de moradia da nossa adorável velhota Miss Jane Marple, é fruto da imaginação de Agatha; Whitehaven Mansions – prédio de apartamentos onde Poirot mantém o seu lar em estilo minimalista (com muitas retas e simetria e pouca decoração), é um local que existe em Londres, porém com o nome de Florin Court.

Florin Court como Whitehaven Mansions


Ainda como curiosidade, podemos notar que os locais de ação de Poirot são maiores e mais movimentados e em alguns casos, até no estrangeiro - Mesopotâmia (atual Iraque), Egito, França, por exemplo; Miss Marple é delegada mais ao interior da Inglaterra, ausentando-se pouco da grande ilha.
Mas vamos aos crimes de Dame Agatha! Claro que eu vou selecionar alguns mais exóticos, pois se não precisaríamos de mais de 10 posts!

Torquay - Devon

Torquay, atualmente

A bela cidade de nascimento de Agatha Christie, no sudoeste da Inglaterra, serviu de cenário sob nomes fictícios para diversas mortes, mas sem deixar seus assassinos impunes. Às vezes em Torquay, outras vezes em alguma cidade da região de Devon, a referência era recorrente em sua obra.

A casa do Penhasco

Com a descrição simpática do Capitão Hastings (lida no cardápio do trem) sobre o local para onde ele e Poirot se dirigiam, podemos ver que Agatha não economizava elogios para sua cidade natal!

Nesta aventura, nossa dupla querida vai ser hóspede de Mlle. Buckley e, claro, vários acontecimentos farão com que Poirot precise usar suas células cinzentas e elucidar mais um crime! A citada St. Loo é na verdade a cidade de Torquay, onde Agatha cresceu. Pela descrição que ela faz no livro, vemos que é a mesma cidade, com nome diferente.


A morte da Sra. McGinty

Broadhinny é um lugarejo pequeno que ultimamente se tornou residencial (...) Broadhinny mesmo é bonitinho e muito rural (...).

Essa é a descrição bucólica de Broadhinny, na história também se localiza no sul de Devon.
Aqui Poirot tem que investigar a morte de uma senhora “que não tinha inimigos” e precisa salvar sua própria pele... e ainda ajudar um homem inocente a escapar da forca.

Em ambos os casos o cenário pode ser lindo, já as mortes...

Ainda sobre Torquay/Devon, há referências ainda em diversos livros (com Poirot), como Assassinato no Campo de Golfe, Crimes ABC, A Extravagância do Morto e Os Cinco Porquinhos.


Outros cenários foram criados para os livros com Hercule Poirot, como King’s Abbot, em O assassinato de Roger Ackroyd;  Woodleigh Common, em A noite das bruxas; Warmsley Vale, em Seguindo a correnteza e ainda Market Basing, onde ocorrem várias histórias do nosso belga bigodudo.



E Miss Marple?

Margaret Ruterford como Miss Marple




St. Mary Mead
Sim, ela teve também sua cota de lugares fictícios dentro das páginas de Agatha. O próprio vilarejo onde ela reside – St. Mary Mead – é um local onde Agatha se valeu de uma característica de Hercule Poirot – o perfeccionismo  para criar ali uma pequena representação do universo para que Miss Marple pudesse usar toda a sabedoria aprendida ali e aplicar em outras situações e resolver crimes, deixando vários marmanjos da Scotland Yard para trás. Ali havia de tudo – ciúmes, traição, orgulho, ganância e muito mais, dando um diploma de PhD sobre natureza humana (que, segundo ela, nunca muda) para a nossa velhinha simpática.


Mas não foi somente St. Mary Mead que Agatha Christie deu de presente para Miss Marple.

Chipping Cleghorn, em Convite para um Homicídio; Lymstock, em A mão misteriosa; Wychwood Under Ashe, em É fácil matar. 


Neste último, a descrição feita pela autora nos revela uma história mais antiga:

"Wychwood Under Ashe tem uma reputação razoável neste sentido. Um dos últimos lugares que se faziam assembléias de bruxas. No século passado ainda se queimavam bruxas lá."


Torquay/Devon não ficaria de fora das histórias de Agatha com Miss Marple. Ali ela está presente em Punição para a Inocência, Um Corpo na Biblioteca e Um Crime Adormecido.

Much Benham é um local que, como Market Basing para Poirot, aparece em diversas histórias de Jane Marple. É claro que muitos outros lugares aparecem em seus livros.

Much Deeping, em O cavalo amarelo, com Ariadne Oliver; Deering Vale, em O misterioso Sr. Quinn e até a ilha onde se passa a história do livro mais famoso de Agatha Christie – E não sobrou nenhum, a Indian Isle – que também foi inspirada em uma ilha em...Devon!

Não há dúvidas que, se fizermos um levantamento detalhado de toda a obra de Dame Agatha, teremos um mapa pontilhado de referências! De todas, eu tenho muita vontade de viajar no Expresso do Oriente (livro que, inclusive, despertou em mim a paixão por mapas antigos). Quem sabe um dia?


Para este post contei com a ajuda da Cris Siqueira, grande conhecedora dos livros e da vida de Dame Agatha Christie! Obrigada, Cris...tie! Leia aqui



Abraços literários!

Até a próxima semana!




Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Olá!
    Sou louca para ler Agatha Christie, amo thrillers policias, e todos esses lugares incríveis que ela criou só provam que a imaginação dela é maravilhosa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Li apenas dois livros da Agatha mas já percebi que ela adora caprichar na ambientação de suas narrativas. Seu post ficou ótimo e super informativo, gostei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Raquel. tudo bem?
    Já li vários livros da Agatha e os detalhes dos lugares que as histórias se passam realmente são incríveis, às vezes até nos dando vontade de ir lá conhecer. Foi legal conhecer um pouco dos lugares reais que a autora cita, já que nunca parei para pesquisar sobre. Parabéns pelo post!

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...