Resenha: A Noite Devorou O Mundo.

A Noite Devorou O Mundo
               Pit Agarmen


Editora: Rocco
Edição: 2014
Páginas: 208

Sinopse: Neste inusitado romance de terror e de zumbis, o francês Martin Page, autor do bestsellerComo me tornei estúpido, , faz uma fábula sobre a sociedade de consumo,sob o pseudônimo de Pit Agarmen. No livro, uma epidemia assola o planeta e transforma os humanos em seres demoníacos, selvagens e cruéis. Antoine Verney é um sobrevivente, mas não tem nada de herói. Como um Robinson Crusoé moderno, ele tem que aprender a sobreviver e a enfrentar a solidão.







Cééérebrooooss....

Quando você pensa que não há mais nada a dizer sobre zumbis, vem um maluco e escreve um livro em primeira pessoa, sobre um sobrevivente do apocalipse dos lerdos que grunhem. E é de grunhido em grunhido que vamos nos despindo de qualquer artificialismo criado pela sociedade moderna, neste jovem e breve livro de Pit Agarmen - pseudônimo e anagrama do autor francês Martin Page.

Page é um escritor jovem, nascido em 1975, em Paris, e tem predileção pela cidade como cenário de suas obras. É um dos autores franceses mais traduzidos da nova geração. Este livro zumbítico foge de seu estilo tradicional, por isso o uso de pseudônimo. Mas a crítica e o humor de Martin estão presentes em cada página do livro devidamente resenhado aqui.

É uma obra relativamente curta, e o ritmo é intenso do começo ao fim. É perfeitamente possível ler de um fôlego, em um ou dois dias. Não há um prólogo. Simplesmente a zumbizada invade geral logo de cara, e o protagonista, no mais absoluto pânico, fica trancafiado em um apartamento. Bem, é a partir daí que a obra começa. O nosso herói solitário narra suas desventuras e pensamentos no tempo em que fica preso, enjaulado, enquanto uma infinidade de zumbis desfila pelas ruas de Paris. O foco do livro não está nas bestas, e sim no humano que sobrou. Narrado em primeira pessoa, a vontade é de nunca mais parar de ler, de tão gostosa é a leitura. O livro é uma crítica mais do que óbvia à sociedade consumista e hedonista. A ausência de sentido é percebida em cada trecho.

Pouco importam os grunhidos zumbíticos. Eles são mero pano de fundo para os ataques filosofais do protagonista. Mas não se preocupe, querido leitor: a linguagem é lépida e gostosa do começo ao fim. Portanto, se você procura uma obra de leitura rápida, para entretenimento, sem abrir mão do uso de seu cérebro, indico muito esse pequeno e poderoso livro. Boas mordidas! :)


                                                                                                         
                                                                                               


   


Comentários
18 Comentários

18 comentários:

  1. Bom, confesso que nunca havia lido um livro sobre zumbis e também nunca me interessei por um. Mas essa resenha maravilhosa me fez ficar super vidrada na leitura e estou querendo muuuito ele agora.
    Amei a resenha, sucesso aí!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então... também nunca fui um fã do gênero. Mas adorei este justamente porque os zumbis são mero pano de fundo para reflexões sobre a sociedade! :) Obrigado pelo comentário ;)

      Excluir
  2. Nossa eu quero!!
    Parece ser muito legal, não que eu goste de zumbis em sí, prefiro os fantasmas, mas gostei do foco da história.

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, este é interessante mesmo pra quem não gosta de zumbis :)

      Excluir
  3. ah tempo venho procurando um livro de zumbi acho que acabei de encotrar ainda mas quando vc disse que vem um maluco e escreve esse livrro deve ser muito bom.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu não conhecia o escritor e nem o livro.
    Mas gosto de histórias de zumbi e ainda lendo que é uma história diferente, fiquei curiosa.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Nossa, vocês leem muito livro de fantasia aqui haha Eu infelizmente não sou muito fã do gênero, o que acaba me fazendo perder a vontade pela leitura da obra, principalmente por terem Zumbis.
    Beijos.

    Diário de uma Bloggeira | Facebook

    ResponderExcluir
  6. Que premissa boa! Eu leria, rs. Acredita que eu quase não leio fantasia? mas posso te dizer que é mais por falta de oportunidade do que por falta de vontade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A premissa é realmente sensacional, e esse autor é um dos mais aclamados na França hoje. :) Obrigado pelo comentário!

      Excluir
  7. Oii!

    Estou em duvida se iria. Vou anotar a dica caso leia ^^ Adorei a capa e a sua resenha ficou ótima :)

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  8. Olá Fabiano!
    Adorei a resenha e fiquei bem curiosa com esse livro, Zumbis nas ruas de Paris? ah preciso ler, ainda mais que não foca só nos zumbis e sim nos pensamentos do protagonista. Gostei bastante da temática! Ótima resenha!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/2015/08/resenha-nao-pare-fml-pepper.html

    ResponderExcluir
  9. Eu tinha visto a capa desse livro e não achei nada interessante, agora zumbis *o*, mesmo que sejam de plano de fundo para reflexições sobre a sociedade eu preciso ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahaha! É, a capa não tem nada demais, né... é até estranha! Mas o conteúdo... ;)

      Excluir
  10. Ei, tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar do livro ou do autor, e fiquei bem curiosa. Não gosto muito de histórias de zumbis, mas esse com certeza é diferente dos demais, e espero poder lê-lo para tirar minhas conclusões.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...