Café com Crime: Vamos ao Jogo!


Se o primeiro jogo que lhe vem à cabeça quando falamos de relação com literatura policial é Detetive e seus personagens esquisitos ou Scotland Yard, onde nosso caro Sherlock Holmes desvendará uma centena de crimes peculiares, vamos fazer um update nas suas informações e te trazer de volta ao século XXI. Os jogos de computador e os das redes sociais estão bombando!

Quando eu era criança nos anos 1980, jogávamos “Vítima, Detetive e Assassino”, onde papeizinhos dobrados nos diziam que o assassino tinha que piscar para matar suas vítimas! sem que o detetive descobrisse. 

Não tínhamos opção de jogos de computador – naquela época o equipamento era somente para os “iniciados” e programadores com códigos para Basic e Cobol, DOS e Lotus. Os monitores verdes a base de fósforo com DOS e Wordstar (o mesmo que George R. R. Martin usa para escrever Crônicas de Gelo e Fogo até hoje!) eram equipamentos grandes e de pouca memória e serviam para equações matemáticas e finalidades específicas no campo das ciências exatas. 

O Atari chegou ao Brasil nos anos 1980, mas nada de investigação criminal ali, né? Pulamos pontes, buracos, atirávamos em naves alienígenas e pouca coisa além disso. Alguns jogos famosos foram lançados nos Estados Unidos, mas por aqui as coisas demoravam – e muito – para chegar.


Mas e a literatura policial?

Tá bem, vamos lá! Avançando no tempo e com a ascensão e popularização da internet de alta velocidade em lares brasileiros, os jogos de computador sem CD, aqueles que baixávamos (e ainda baixamos!) começaram a tomar seu espaço. E começaram em alto estilo! Adaptações de livros clássicos de Dame Agatha Christie e Sir Arthur Conan Doyle foram beneficiados pelo jogo do tipo “hidden object” (ou objetos escondidos), o que combinou perfeitamente com o espírito “detetivesco” desses autores.

Eu já joguei alguns destes títulos e gosto bastante!

Vamos ver o resultado desse embate de clássicos britânicos, como Sir Arthur Conan Doyle e Dame Agatha Christie se saíram nas suas versões “jogáveis” para o século XXI.

Damas primeiros, nossa Dame teve alguns de seus títulos transformados em jogos com belas imagens, onde podemos brincar um pouco de ser Hercule Poirot ou Jane Marple.

Murder on the Orient Express (Assassinato no Expresso do Oriente), And the there were none (E não sobrou nenhum), Evil under the sun (Morte na Praia) e The ABC Murders (Os Crimes ABC).



Desenvolvidos pela AWE Games, sendo os três primeiros para PC e o último para Nintendo DS. Outros títulos foram desenvolvidos pela Floodlight Games e lançados pelo site de jogos Big Fish Games, para PC. Outros títulos também viraram jogos:

Death on the Nile (Morte no Nilo), Peril At End House (A Casa do Penhasco), 4:50 from Paddington (Testemunha Ocular do Crime), Dead Man’s Folly (A Extravagância do Morto).






Sir Arthur Conan Doyle/Sherlock Holmes: Este veio em série. Em 2002, foi lançada a coleção Adventures of Sherlock Holmes. Aqui nós somos o Dr. Watson e o jogo se baseia em resolução de quebra-cabeças e dedução e assistência do referido Doutor.  A série possui nada menos que 10 jogos com a nossa dupla de investigadores mais famosa! 
Eis os títulos em ordem de lançamento (ordem e método – pra não perder a piada!*):

The Mystery of the Mummy, The Case of the Silver Earring, The Awakened, Sherlock Holmes versus Arsène Lupin, The Mystery of the Persian Carpet, Sherlock Versus Jack the Ripper, The Mystery of Osborne House, The Testament of Sherlock Holmes, Sherlock Holmes and the Mystery of the Frozen City, Crimes & Punishments




Todos os jogos desta série, foram lançados para PC, mas a partir de “Sherlock versus Jack the Ripper”, eles começaram a ser lançados também para consoles e no caso específico deste, para Xbox 360. Particularmente, eu já vi um desses jogados em uma TV de muitas polegadas e é incrível! Depois deste lançamento para Xbox, os demais jogos passaram a ser lançados para outras plataformas de videogames (PSP, Nintendo DS).

Uma curiosidade é sobre o jogo Sherlock Holmes versus Arsène Lupin, já que Lupin, o eterno "Ladrão de Casaca" é também personagem de vários livros de Maurice Leblanc, escritor francês de romances policiais; nos livros, Arsène Lupin duela algumas vezes com seu rival Herlock Holmes (assim mesmo, sem o "S", sob protestos de Conan Doyle) e aqui ele encara mais uma vez Sherlock. Eu não joguei, mas como o jogo é da série de Sherlock, é capaz que o inglês ganhe o duelo...

Os personagens desta série de jogos são baseados na série de TV “As Aventuras de Sherlock Holmes”, que foi estrelado por Jeremy Brett (considerado por muitos – eu inclusive – como o melhor Sherlock Holmes de todos os tempos) e David Burke, como Dr. John Watson. Ao contrário dos de Agatha Christie, nenhum dos jogos, bem como a série de TV, é baseado em estórias escritas por Sir Arthur Conan Doyle.

Outra curiosidade sobre o jogo Sherlock Holmes versus Jack the Ripper: como Jack e suas vítimas existiram na vida real, estas últimas foram reproduzidas no jogo somente em forma de desenhos em papel, para não chocar com a realidade; nos demais jogos, as vítimas aparecem como personagens do jogo, uma vez que elas são fictícias.

Como o sucesso da marca é muito grande, outros desenvolvedores lançaram alguns títulos independentes, como:
Hound of Baskervilles, The lost cases of Sherlock Holmes, Sherlock Holmes – Nemesis.

Então, observamos que o nome/marca Sherlock Holmes por ser (um pouco mais) famoso, teve mais títulos lançados do que as obras de Dame Agatha.

Séries de TV e jogos


Para quem curte séries policiais de TV, CSI: Crime Scene Investigation teve três títulos criados para computador: CSI: Dark Motives (com personagens do começo da série como Gil Grisson), CSI: Deadly Intent (com Ray Langston), baseados na série original e CSI: New York, baseada na Spin-off de mesmo nome.
Inspirado em séries policiais, mas sem uma específica, o jogo do Facebook Criminal Case, lançado em 2012, tem vários jogadores que recolhem pistas e resolvem casos. Segundo o próprio Facebook, mais de dez milhões de pessoas resolvem seus casos online, usando pouca dedução e muita amizade para conseguir os itens e passar de fase.



Para quem gosta (ou passar a gostar) deste estilo de jogo, existem vários títulos disponíveis na internet. Eu já joguei muitos deles e minha mãe (a quem eu dedico este post) muito mais do que eu. Também foi graças a ela que eu comecei a ler Agatha Christie! Obrigada, mamis!

Mais agradecimentos ao blog Jogolândia (http://jogolandia.forumpratodos.com/) pelas imagens e informações.

Tem mais dicas de jogos inspirados em romances policiais? Comente aqui!
Abraços literários e até segunda!


* Referência a uma das máximas de Hercule Poirot, personagem principal de Agatha Christie –  “Ordem e método!”



Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Ótima lista! Acrescentaria também os jogos: The Last Express, Nancy Drew (tem vários), Broken Sword e L.A. Noire.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mary Luiza! Rs!
      Eu não conhecia estes. Vou procurar!
      Abs!

      Excluir
  2. Valeu Rquel vc é ótima. Parabéns!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...