Café com Clássico: 4 Livros que Cusaram Grande Impacto em Suas Épocas.


Suicídio em massa, negação do racismo, rebeldia, assassinatos, músicas... Esses são só algumas das reações que grandes clássicos que marcaram a história provocaram na época de seus lançamentos. Escolhemos 4 deles para você conhecer.
Uma das características mais marcantes de um clássico é sua atemporalidade. Porém a capacidade de cada um deles de influenciar a sociedade no período em que foram lançados, também influenciando obras posteriores é, do mesmo modo, uma condição sine qua non para a classificação do gênero. Levando em consideração que internet, cinema, rádio são adventos recentes, os livros, hoje clássicos da literatura mundial, eram em suas épocas um importante difusor de ideias, por essa razão alguns deles geraram um grande impacto em seus lançamentos, não só pelo sucesso e originalidade, mas por provocarem mudanças no pensamento e comportamento social. 

Seria de uma enorme presunção ingenua da nossa parte pensar que poderíamos citar aqui todos os livros que romperam os paradigmas de seu tempo provocando mudanças, (Viva a literatura por tamanho poder...rs) mas como nós, os bonitos do café...rs, somos abusados, vamos arriscar uma pequena lista de clássicos que provocaram grandes impactos sociais no período de seu lançamento.


Começaremos por ela, a bela e infeliz Karenina de Tolstói.


A bela aristocrata russa, que trocou a vida arrumadinha e vazia pelo tormento extra conjugal e olhares acusatórios da sociedade se vê consumida pela culpa e arrependimento e acaba se suicidando ao fim do livro. A história, considerada uma obra de arte de seu tempo, aclamada por grandes autores do período, como Dostoiévski por exemplo, provocou em sua época não só boas críticas, mas teceu consequências mais diretas em seu público. 

Embora o próprio Tolstói não tenha gostado tanto assim de sua personagem, sucesso da obra foi imediato, ao dissecar os bastidores da sociedade czarista, o autor gerou uma identificação, principalmente no público feminino, que ela provocou nas camadas mais elitizadas da sociedade russa um sucessivo número de suicídios. Muito provavelmente motivadas pelo espirito passional e dramático de Anna.


Mas nenhum outro livro gerou mais suicídios na história do que "Os sofrimentos do jovem Werther" de Goethe, tanto que a obra, lançada em 1774, foi considerada maldita para a igreja. No caso de Werther, personagem do livro em questão, a situação era inversa a de Karenina. O rapaz, não podendo ser correspondido por sua amada por ser ela uma mulher casada, a despeito de já viver um romance com a bonita, resolve por fim a própria vida com tiro na cabeça. O autor conseguiu em suas linhas traduzir muitos dos sentimentos humanos relacionados às aflições do amor, o que o fez tão perturbador para a época. O efeito da obra de Goethe teve ecos a ponto de criar um termo na psicanalise em referencia ao personagem e sua tendencia suicida: Efeito Werther.


Casa Grande Senzala, um clássico da Literatura Brasileira, gerou também centenas de novas visões e teorias a respeito da formação da sociedade brasileira, no que diz respeito à miscigenação. Em seu tempo a obra foi para a elite nacional um sucesso meteórico. Embora o autor nadasse em uma piscina de sangue que negava a violência, a exploração, os abusos, os maus tratos e principalmente a resistência dos povos escravizados, seu livro atendia aos anseios da sociedade branca da época.  O autor criou uma visão paternalista da escravidão construindo o mito do bom senhor e da democracia racial, arraigada até os dias de hoje, que nega o racismo e o privilégio da posição de poder que o branco se encontra em nossa sociedade com raízes escravocratas.





Por ultimo, mas imensamente influente ficou "O Apanhador nos Campos de Centeio" de D.J. Salinger. O pai da adolescência rebelde norteou os rumos da juventude pós Segunda Guerra Mundial. As questões levantadas pelo então personagem do livro, Holden Caulfield, levaram a identificação das massas imediatamente. A construção do anti herói envolvia a complexos dilemas de identidade, pertencimento, alienação, aceitação entre outros, tudo com uma linguagem considerada "indecorosa", o que rendeu a censura do livro em muitos países por alguns tempo. Fato é que o livro virou um ícone da rebeldia adolescente e inspirando nos anos 60/70 movimentos contra culturais. Reza a lenda que os assassinos de Jhon Lennon e Ronald Reagan afirmaram ter se inspirado no livro para praticarem tais crimes. Já de fato concreto temos "Catcher In The Rye", faixa do CD Chinese Democracy do Guns N' Roses e Who Wrote Holden Caulfield? faixa do CD Kerplunk! do Green Day são baseadas no livro.



Obviamente, muitos outros livros impactaram a sociedade de seu tempo, e tenho certeza de que você lembrou de pelo menos alguns, então conte para gente e aumente essa lista. 







Comentários
6 Comentários

6 comentários:

  1. Olá, tudo bem?

    Que post mais bacana, simplesmente amei. Este ano eu fiz uma meta de colocar um clássico por mês nas minhas leituras. E estou amando. Pois são incríveis. E é muito legal ver que a ideia colocada anos atrás, é tão viva e aplicada até hoje. sensacional. Fiquei de olho em alguns títulos aí, que eu não conhecia.

    Grande cheiro.

    http://www.livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olaa
    Ja ouvi falar e parecem ser bons, quero ler livros mais clássicos esse ano, espero em breve.

    Beijo
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  3. Oie!!!
    Adorei o post Andreza, interessantíssimo! estou com o Anna Karenina aqui para ler, quero ler o mais rápido possível. Acho que os clássicos tem um certo encantamento kkk apesar de não lê-los muito.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?

    Ai, meus olhos! *-* Ameeeei essa postagem, de coração!
    Primeiro porque eu já tentei ler Os Sofrimentos do Jovem Werther (é tão deprimente que eu não consegui terminar). Eu nem sabia que existia um tal de Efeito Werther! Que de mais (ou não, né hahaha).
    Segundo porque O Apanhador no Campo de Centeio é o meu livro preferido do Universo. Eu poderia, tranquilamente, me casar com o Holden se ele não fosse um personagem literário HAHAHA. Ele é deprimido, mas nada comparado ao Werther. Acredito que o Holden é mais positivo do que o este e o Charlie (As Vantagens). Aliás, segundo uma amiga, esses três livros (Os sofrimentos do jovem Werther, O Apanhador e As Vantagens) deveriam ser vendidos num box só, pois a temática é a mesma - e eu super concordo.
    Sobre Anna Karenina, nunca tive vontade de ler, apesar de já ter visto as adaptações cinematográficas. A última está de arrasar! Nunca li Casa Grande Senzala, mas já li outros livros brasileiros que tocam na questão da escravidão, embora, talvez, estes não sejam tão marcantes.
    Enfim, parabéns pelo post, muito bom e muito válido!

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Casa grande e senzala eu li quando estava na universidade, apesar dos problemas na concepção teórica, é um livro fundamental para compreendermos as fundações da sociedade brasileira. Gilberto Freyre cousa polêmicos entre os estudiosos. Acho que temos que pinçar o que legal dos estudos do autor. Já Os sofrimentos do jovem Werther eu li na adolescência e ainda não estava preparada para ele. Acho que devo reler, sua postagem me influenciou. Os outros livros, eu ainda não li, mas conheço a fama.

    Ah, parabéns pela postagem.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Nossa que post incrível, meus sinceros parabens!
    Não tive a oportunidade de ler nenhum dos livros citados, mas já conhecia algumas repercussões e estou sinceramente surpresa.
    Parabens novamente pela postagem

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...