Nanowrimo. Se quer começar a escrever, o caminho pode ser este...




"Há livros escritos para evitar espaços vazios na estante."
Carlos Drummond de Andrade



Não, não é uma das casas de Hogwarts.

Há muito tempo eu sonho em escrever um livro. Não sei sobre o que, mas quero e ponto (desde que não seja um romance policial, já que eu acho esse estilo maravilhoso e extremamente complexo, uma arte e eu não me vejo maculando o nome e o estilo dos autores que eu tanto admiro). Não tenho pretensões de ser uma autora de referência, escrever um livro que seja campeão de vendas, não quero (não pretendo) ser uma Agatha Christie ou J.K. Rowling. Não. Mas pretendo escrever e saber que concretizei isso. Publicação de gráfica do bairro, sem nada muito grande. Só dar uns exemplares para alguns chegados, eles me dizerem que eu consegui e só. Estarei satisfeita. Se vier mais que isso, ficarei ainda mais feliz. Mas escrever é uma coisa séria!


Assim posto, eu e meu marido resolvemos que escreveríamos alguma coisa. Afinal, todo mundo pode escrever, haja vista que o Wattpad está cheio de escritores (ou não, como diria Caetano). Colocamos a ideia na cabeça no final de abril de 2013. Procrastinações a parte, quanto nós já escrevemos? Nada. Zero. Zip. Para não dizer que absolutamente nada foi feito, escrevemos algumas short stories* (eu escrevi duas – em dois anos e acho que ele não foi muito além disso). Mas estudamos bastante sobre o assunto. Agora escrevo neste blog fantástico e estou com a prática da escrita mais afiada.

Há algumas semanas ele me falou sobre uma competição onde os participantes tinham um mês para escrever um livro. Eu pensei que era um desses realities shows e não dei muita atenção ao assunto (sorry, baby).

Eis que há pouco tempo, melhor dizendo, hodiernamente (palavrinha nova que eu conheci, que significa nos dias atuais, no mundo contemporâneo), eu peguei uma revista de variedades e tinha um artigo que falava sobre escrita criativa e lá falava da experiência de um rapaz, um brasileiro, no NaNoWriMo – National Novel Writing Month - ou em tradução livre, Mês Nacional para escrever um Livro - que acontece anualmente no mês de novembro. Este ano acontece a 17ª edição com competidores de vários países, incluindo o Brasil. Aí eu lembrei do que meu marido falou. E fui atrás para saber mais (ah, como eu AMO a internet!).

E no meio das minhas investigações descobri algumas curiosidades. A primeira delas consiste na regra. Sim, uma regra: você tem que escrever 50.000 palavras em 30 dias, o que o povo fez as contas e deu 1.666 palavras por dia. Nossa, Raquel, que absurdo! Isso é muita coisa! Não, nem é tanto assim, se você gosta de escrever. Um post meu no blog tem cerca de 1.200 palavras. Mais um pouquinho e puf! Tenho 1.666! No final deste post eu vou colocar quantas palavras terei escrito aqui para que você tenha uma ideia da quantidade, ok?

IMPORTANTE: NÃO PRECISA ESCREVER EM INGLÊS, OK? ESCREVA OU PORTUGUÊS (OU EM OUTRA LÍNGUA QUE VOCÊ ACHE CONFORTÁVEL... TIPO OFIDIOGLOSSIA! KKKK)

Ah, mas se eu não conseguir? Não conseguiu, paciência. Treine mais para o próximo ano. O texto não precisa ser primoroso logo de cara. E isso serve de treino. Eu mesma vou participar este ano e vamos ver o que vai sair. São 30 dias de dedicação intensa, não sei se consigo. Ah, e tem uma coisa. Aquele ditado “não deixe pra amanhã o que pode fazer hoje” faz muito sentido, pois, uma vez que você passa um dia sem escrever nada, no dia seguinte você terá quase 3.300 palavras pra pôr no papel... Penso que, o quanto você escreva em um dia, independente de ter conseguido as benditas 1.666, é lucro, pois o que faltar para o dia seguinte será bem menos, né? E se por acaso passar da meta, ótimo! Melhor pra você!

Mas e aí, eu tenho que fazer tudo sozinho? Não. Você interage com pessoas que estão passando pelo mesmo processo que o seu além de algumas outras que já fizeram e trocam ideias, dão dicas valiosíssimas. Ninguém tem que ficar pensando em roubar a ideia de ninguém, pois cada um tem seu tipo de escrita e muito trabalho a ser feito. Cada um faz upload no seu texto para contagem de palavras e ainda diz que você pode embaralhar seu texto antes de mandar, pois eles só vão contar as palavras e descarta-lo em seguida. Vale ressaltar que os textos tem que ser inéditos, mas nada impede que você comece a fazer sua pesquisa antes e em novembro comece a juntar as peças. Lembre-se de que você não precisa escrever em inglês, escreva em português mesmo, pois o importante é você alcançar a meta.

Outro ponto do NaNo (oh, intimidade... e pensar que te conheci outro dia!): ao longo do ano, eles abrem um site chamado Camp Nanowrimo, que é uma espécie de treino para novembro. Você se cadastra e começa a interagir. A próxima edição do Camp já é agora em julho. Corre lá e se inscreve! Aqui se tem mais ajuda que no NaNo de novembro. 



Outra ajuda é o site não-oficial do Wikiwrimo. Está em inglês, mas quem tem um conhecimento da língua pode dar uma espiadinha.

Os próprios realizadores da NaNo (que começaram o projeto como uma brincadeira e 21 participantes), são bem tranquilos em relação a tudo, é só dar uma olhada no FAQ deles - onde eles falam para você relaxar, comer bastante chocolate – nem precisa mandar, né? – procrastinar (oi?) e ler as dicas e histórias engraçadas no site, entre muitas outras. O negócio é mandar bala e acabar com seu teclado (no bom sentido, claro).

Os campeões do NaNo ganham a primazia para serem uma espécie de administradores do fórum local, chamados de Municipal Liaison. Eles promovem discussões nos fóruns e ajudam os participantes novatos.

E o que ganhamos se formos campeões? Bem, um tapinha nas costas! Brincadeirinha... A verdade é que não há um grande prêmio envolvido ou a publicação do seu livro, mas você ganha um diploma (ou certificado), uma medalha e arte para camisetas. Mas, muito mais que isso, você ganha uma experiência que muita gente não conseguiu. Depois, é só aprimorar seu texto e ir atrás das editoras. Provavelmente elas vão te olhar com outros olhos se você disser que é um campeão da NaNoWriMo!

Já estou começando a me organizar com as minhas armas em punho: caderno, marcadores coloridos como um fichário (com nomes, lugares, datas, eventos) para facilitar a pesquisa e as ideias, lápis, canetas, marcadores... Afinal de contas sou uma mulher que, além de ler é viciada em itens de papelaria (ai meu salário...). Escrever mesmo tem que ser no computador (pelo menos para mim). Tenho certeza de que se você começar e deixar suas ideias fluírem através dos seus dedos e seus olhos testemunharem seu progresso, seu trabalho será muito mais suave. Vale a pena dar uma olhada no fórum brasileiro  do ano passado e ver as dicas dos vencedores e o que aqueles que não conseguiram tem a dizer da experiência.

Espero que todos se sintam compelidos a participar e quem sabe, daqui a alguns meses teremos um campeão entre nós? Vamos trocar experiências, nos ajudar e construir coisas legais. 

Até a próxima! 

Abraços literários!

Total de palavras deste post: 1200
Tempo: aprox.. 1:30 horas

*short storyum pequeno resumo que traz o que você quer contar, geralmente em umas 5 ou 8 linhas, aproximadamente
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...