Grey, Grey... Por Que Fascinas Tanto?


Ok. Tudo bem, entendo. Estamos todos cansados do assunto, (ou não) mas diante de tanto zum zum zum, de assistir a tantos embates pelos grupos de leitores, de ver a crítica ocupando o destaque em quase todos os veículos de comunicação, eu não resisti, preciso dizer o que penso. Se você vai querer saber? Talvez não, mas quem sabe... se você topar...
A mulherada está em frenesi, o mundo está cinza, e não é só pelo preço da gasolina e da falta de água, é por causa dele, o homem por trás do chicote: Christian Grey, está dando mais que falar do que a roubalheira na Petrobrás e fazendo brotar mais umidade do que os índios conseguiram com a dança da chuva em São Paulo. Mal chegou e o bonito já bateu recorde de bilheteria em cinco países, e acredito que logo o Brasil estará incluso na lista. Enquanto as salas de cinema lotam, o pau come, (literalmente..rsrsrs) na internet. Vemos de tudo: homens machistas dizendo que Anastácia é uma periguete interesseira, assistentes sociais acusando Grey de violência contra mulher, amantes do bilionário dizendo que foi consentido, tem gente defendendo 50 Tons de Cinza como se fosse religião, e religiosos acusando o mesmo de ser coisa do capeta, afinal quem é mesmo que curte um chicotinho e uma tortura? rsrsrs. Brincadeiras à parte, diante de tantas opiniões controversas decido colocar mais lenha na fogueira e expor a minha. Então vamos deixar bem claro duas coisas:

1. Você pode não concordar com o que falo, mas eu tenho direito de dizê-lo.

2. Eu posso não concordar com o que pensa, mas não devo e nem posso tentar impor isso à você, logo a recíproca é verdadeira.

A grande pergunta é: "O que fascina tanto o público feminino na trama de 50 Tons?". Em minhas andanças pela rede li alguns argumentos risíveis, como por exemplo a historinha de que mulheres que fazem pouco sexo, ou nenhum, ficam totalmente fascinadas pelas fantasias narradas no livro. Ai eu pergunto a vocês queridos rapazes, (que se apropriam de tal argumentação) o fato de vocês assistirem pornô e folhearem a Playboy é por que não dão no coro? Ops!! Falei demais? Acho que não.
Em busca de solução para essa pergunta, tentei compreender o que eu mesma sinto pela trama, um mixto de "ai que absurdo" e "ah...é doentio, mas é fofo." Mesmo sabendo que o livro já foi objeto de estudo de muita gente com gabarito para isso, decidi arriscar.

O enredo usado pela autora todos conhecem, gatão milionário fica perdido de desejo por uma garota ingênua e comum, que se vê fascinada pelo mundo novo que ele apresenta. Ele totalmente problemático, frio e misterioso, passa a ser resgatado pelo amor da mocinha. Tudo isso regado a muito sexo sadomasoquista. Pois bem, tirando isso o que sobra? Sobra, ou um doente psicológico e uma menina problemas de auto estima, ou um homem solitário e triste que vai ser transformado e dominado pelo amor? Acho que é ai que ocorre o grande bafáfá. Qual das duas visões você escolhe? Escolher uma delas não é errado. Errado é querer empurrar a visão que você adotou goela abaixo de quem quer que seja.

Não acho que o livro seja bem construído, concordo que os personagens são rasos, a escrita é pobre, repetitiva e toda a trama caberia só no primeiro livro da série. (Lembre-se do que eu disse acima, eu posso discordar de você) mas existem elementos no livro que nos atrai vamos a eles:

O amor...Ah o amor!!!
O elemento que atrai a mulherada logo de cara, é sem sombra de dúvida o amor...sim aquele amor que aprendemos acreditar desde a infância, o que rompe barreiras e transforma tudo. O amor que é capaz de resgatar alguém das mais escuras profundezas. Tendemos acreditar nisso. Se olharmos para os personagens com visões menos românticas veremos um homem com distúrbios provocados por negligencia materna na infância e uma menina com baixo autoestima que também depende desta relação pois de alguma forma se percebe importante para alguém. Logo temos uma relação doentia repleta de obsessão, ciúmes, controle. Sim meninas, tiremos a venda que o bonitão executivo colocou em nós. Isso é fato. Mas também é fato de que o livro é apenas uma ficção e sendo assim, neste mundo, o da ficção, podemos acreditar que tudo isso é possível e que como diz a canção "o mundo é perfeito e todas as pessoas são felizes". Então não é difícil transpor para a história de Grey e Anastácia a nossa crença de que o amor recupera, liberta, concerta. Portanto, se não acreditarmos mesmo nessa falácia do amor salva-vidas, qual o problema?

Além de bonito é rico!
Convenhamos, quer mistura melhor? Além de ser deslumbrante o poderoso é rico. Só essa frase vai ser lida daqui para frente pelos machistas de plantão. Mas me digam vocês, quem aqui não acha que todos os seus problemas seriam resolvidos com dinheiro? Quem não acha que a vida seria mais tranquila? Que teria mais segurança? Quantos não queriam trabalhar só por prazer e não obrigação? Então guarde sua hipocrisia na caixinha, pois já cansei de ouvir em tom de brincadeira, muito homem dizer que queria arrumar uma "coroa rica" (mais uma expressão machista usada por eles) 
Oh!! Ana é uma periguete descarada interesseira que se vendeu!! Sério? Vamos combinar, querido, a diferença aqui é que se vocês desejam uma mulher só pela bunda grande, cintura fina e seios fartos, como se elas fossem objetos, fazem de vocês menos cafajestes e safados do que uma mulher que deseja um homem por ele ser bonito e rico. O que vocês esquecem é que isso é comum desde mil novecentos e Guaraná de rolha. Todos procuram alguém que possa dar segurança, seja ela afetiva ou financeira, e não adianta negar, uma das primeiras coisas que procuramos saber quando nos interessamos por alguém é qual a profissão dessa pessoa, não perguntamos quanto ela tem no banco, mas veladamente é a intenção quando perguntamos o que ela faz. Não estou defendendo que mulheres se vendam, que barganhem-se por presentes, o que digo é que todos nós temos esse fascínio pelo que pode nos gerar segurança, e no caso aqui é o dinheiro, mas poderia ser qualquer outra coisa. Se tirarmos esses tapa olhos machista da frente, veremos mais uma vez uma personagem que não acredita em si mesma, que se deslumbra diante das possibilidades.

Grey é um cavalheiro na mesa e um dominador na cama!
Pronto agora chegamos a um ponto que eu realmente não consigo compreender. E por que? Bem vou explicar. A questão é que eu não acho Grey um cavalheiro, acho ele possessivo, obsessivo. E sei que muita gente diria que é cuidado, que é amor, que ele se preocupa com ela, mas eu não conseguiria viver com um homem que me controle. Que determine onde e como eu deva fazer as coisas. Alguém que faça tudo por mim e que manipule meus passos. Surtaria. Talvez muitas mulheres vejam nessas atitudes algo fofo, e demostrativo de preocupação, mas para mim, pelo contrário, isso seria preocupante.
Outra coisa que não compreendo é o furor que elas têm com Grey na cama. Tudo bem que existam os adeptos "do tapinha não doí", porém eu duvido que a maioria das leitoras de 50 tons queiram levar uma coça de mais de 10 palmadas na bunda, daquelas de deixar marcas, depois do sexo. Acredito até que alguns jogos sexuais de Grey excitem porque em muitos deles a atenção está totalmente em Anastácia em fazê-la sentir prazer, as vezes com dor, e as vezes não com tanta dor assim, mas de qualquer forma. Acho que essa ideia de dedicação total do bonitão na hora do sexo e do tesão que o mesmo sente em vê-la , desperta o desejo feminino. Pensando assim, a maioria das mulheres simplesmente sublimam o elemento sadomasoquista da leitura. Nem se lembram dele. 
Mas confessemos, quando ele aparece mais exacerbado em algum momento, a gente estranha. Mais uma vez tirando o elemento de fascinação, e o romantismo, Grey não é cavalheiro nem furacão. É um cavalo. (Lembre-se do que eu disse acima, eu posso discordar de você). Se um cara diz para mim, "não faço amor, eu f..." eu mandava ele "f..." sozinho. Então ainda seguindo essa linha, Anastácia, tendo os traços de personalidade que tem (sem romantismo) e Grey tendo os dele (sem romantismo) poderíamos dizer que ela foi de certa forma, manipulada, seduzida, assediada pelo o executivo e tendo baixa autoestima e carência afetiva se apegou nessa relação se submetendo à dominação total pelo "bonito", capaz de aceitar qualquer coisa dele. 

Conclusão:
Muitos dos elementos que povoam nosso imaginário, estão impregnados na trama, porém misturado a elementos dos quais não são bem vindos na vida de uma mulher de qualquer época, principalmente na realidade contemporânea. 
Contudo isso não faz das leitoras do livro solteironas desesperadas, assim como não faz de quem não leu superiores intelectualmente. Então baixem os ânimos ambas as partes e respeitem as opiniões alheias, deixem o quebra pau para Anastácia e Grey entre quatro paredes. 

Ah! Se eu vou assistir ao filme? Mas é Claro!!! 













Comentários
29 Comentários

29 comentários:

  1. é isso aí Andreza!!!
    Concordo contigo!
    Quanto a ele ser cavalo.... tem gente que gosta do tipo, então deixe os pombinhos serem felizes! rs....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Lei. Há quem goste e neste caso quem somos nós para julgar?
      Volte mais vezes.

      Excluir
  2. Oie, Andreza!!
    Então, eu não suporto a Ana, achei muito fraca a construção da personagem. Não sinto que ela poderia ser uma mulher real. Esse foi meu maior problema com o livro (além da escrita e demais pontos que você mostrou). Além disso, essa história do Grey ser preocupado e cuidadoso com ela, é um exagero. Ele é muito controlador e possessivo. Uma mistura no nosso dia a dia muito complicada, para dizer o mínimo.
    Claro que todas (a maioria) das mulheres, em algum momento da vida, sonha com o dia em que o seu amor vai mudar alguém especial. Isso sem dúvida é um atrativo. Mas sinceramente, não consegui continuar a leitura e abandonei. Coisa que raramente faço.

    Agora, essa história de ficar julgando alguém pelo que lê é tão boba. Por exemplo, eu amo fantasia e romance policial, não quer dizer que eu sou uma fada serial killer. Respeito é algo que está faltando...

    Letras & Versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Anna. Não compreendo o porque de tanta gente querendo impor sua opinião aos outros.

      Excluir
  3. eu nao li o livro, DE FATO, porém peguei algumas poucas passagens pra ler. Muitíssimo mal escrito, vocabulário de ginásio, extremamente tosco e juvenil….entendo que muitas aqui adoram, ja leram 2, 3, até 4 vezes, mas sinceramente….complicado viu? Não estou pedindo para lerem Kafka, Dostoiesvki, Nietzsche, Marx, nem nada do gênero, mas ouço pessoas falando “é o melhor livro que li em anos e etc…”, me dá vontade de responder “e o último livro que leu foi qual? A patota da pipoca? O pequeno príncipe?”

    ResponderExcluir
  4. Oi Dessa!
    Eu não li o livro e muito menos vi o filme, então não nem comentar nada em relação ao personagem, pq em particupar, também nem teria o que argumentar. Mas o gênero do livro no geral não me motiva a conhecer. Não gosto da literatura erotica, e menos ainda me senti atraido pela história. Com certeza é uma leitura ou um filme que não irei curtir se for arriscar :D Mas fico feliz que tenha sido tão positivo para os fãs.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  5. Oie, Dessa!
    Não vi o filme, mas tentei ler o livro. Nossas opiniões são bem divergentes! Não gosto do Grey, não há quem me faça aceitá-lo como um cara legal ou o homem dos sonhos. Não digo nem na cama, onde é violento e pode ser a vontade, já que a Anastasia aceita normalmente. Falo fora dela mesmo, onde ele se prova um homem extremamente controlador e possessivo - não, isso não é bonito! Mas é a minha opinião. Só fico muito triste em ver uma prima minha de 15 anos achando que ele é o príncipe encantado, romantizando alguém que escolhe a ginecologista da companheira, que a obriga a tomar anticoncepcional para ejacular dentro. É horrível, mas essa é a minha visão e minha opinião. Não condeno quem adora os livros, na verdade fico feliz de ver que a reação dos fãs no geral tem sido bem positiva quanto à obra cinematográfica. É maravilhoso quando um fã vê seu livro ser retratado com fidelidade nas telas. Quase certeza que você vai amar também!
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    ResponderExcluir
  6. "Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo" ,dito isso ai vai minha opinião, eu não gostava de literatura hot ou erótica ( não sei como se chama), maaaassss eu li Cafajeste Irresistível e só posso dizer "AI MEU DEUS" pra que eu iria querer uma chicotada se posso dar uma rapidinha na escada ou na sala de conferencia ou no trocador da loja, ou no banheiro enquanto rola um jantar de família, Que me perdoem as fãs de Grey, eu sou muito mais o Ryan e as atitudes de mulher madura, que sabe o quer, dona da situação da chiquérrima Chloe, ai descobri que não é que eu não gosto de literatura hot eu só não gosto de 50 tons de cinza mesmo.

    BEIJOSSsss...

    http://sonhosdeleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Janaina. Muito bem colocado. O importante é respeitar o gosto alheio.

      Excluir
  7. Oi Andreza.
    Opinião muito bem colocada.
    Eu li apenas o primeiro livro e não gostei, não costumo ler hot, esses enredos não costumam me conquistar, mas não julgo nem critico quem lê e ta doido pra assistir o filme, cada um sabe de si.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Paty. Apoiada! Respeito literário. Cada um sabe de si.

      Excluir
  8. Oi Andreza,
    Minha vez. hehehehe. Eu escrevi um artigo para uma coluna que tenho em outro blog. o título é 50 tons... não foi um artigo criticando a obra, muito menos o filme, deixando bem claro que não li e nem assisti ao filme (ainda). Eu falei da repercussão da obra. O que gerava tanto fascínio e tanto sucesso? recebi algumas patadas como se eu tivesse criticado e falado mal da obra sem ter lido. Como vc bem descreveu, há pessoas que veem o livro como uma religião. É um livro. E só. O fato de ele ser lindo e milionário entra no imaginário da mulher (homens e mulheres procuram seus companheiros de forma diferente, sem entrar no machismo e no feminismo). Ana aceitou os termos de Grey; errada? certa? Discuti no artigo que escrevi que a palavra fundamental talvez fosse "consentimento". o ato de aceitar. e isso está além do livro. é quando o livro se aproxima mais da realidade. E digo isso sem ter lido uma linha qualquer. Na ficção o amor supera qualquer coisa (às vezes no mundo real também, mas há muito mais complicações) e supera inclusive um modo nada normal de Grey ver o sexo. Como vc mesma afirmou, ele não faz amor, ele f... (e segundo me disseram : f... com força). Isso é psicológico, ninguém muda da noite para o dia só porque conheceu o amor. isso tem que ser trabalhado durante um bom tempo, principalmente se foi fruto de algum trauma. Você quer minha opinião sincera? acho que estão fazendo uma tempestade em copo d'água. há quem goste e há quem não goste do livro. e é assim que deve ser.
    bjs

    Antonio Henrique Fernandes
    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Andreza, você deu vááários tapas na cara durante a resenha, e eu os adorei!
    "(...) o fato de vocês assistirem pornô e folhearem a Playboy é por que não dão no coro? Ops!! Falei demais? Acho que não." FOI O ÁPICE! Hahahahaha
    Eu concordo com você nesse ponto: todos sempre procuram alguém que lhes ofereçam o mínimo de conforto.
    Sobre o livro: Eu li - não sei se felizmente ou infelizmente -, os três livros e me decepcionei bastante. Achei que a construção dos personagens apelativas: um é rico, poderoso, sensacional, bota pra f***, literalmente. Enquanto o outro lado é o oposto: fraca, simples, pobre, virgem. Além disso, achei a narrativa tãaao sem sal e sem açucar, assim como a maioria dos livros que abordam esse tema; sejamos sinceras, nada nessa vida chegaria nem perto dos 10% da fantasia tratada nesse livro (ok, Karen, por isso é fantasia urrr). O que me deixa chateada é que algumas mulheres passaram a basear o seu "tipo de homem" no Grey; isso é assustador.
    Mas super respeito quem gosta desse gênero e endoideceu com 50 shades.
    Repito: parabéns pelo texto!
    Beijos,
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Karen, fico feliz com seu comentário. E concordo com você, assustador, porém a gente respeita né? Obrigada mais uma vez. :)

      Excluir
  10. Adorei, Andreza-flor!
    Eu concordo que cada um tem sua própria opinião e, francamente, isso não a torna única e exclusivamente correta/verdadeira. Acho que o melhor da literatura reside justamente nas diferentes possibilidades de juízo sobre uma mesma história. Quando li 50 Tons, confesso que não concluí a leitura. Eu não consegui me identificar com a protagonista, mas apenas porque não estava em um momento no qual ver uma relação "desigual" me agradaria. Sim, "desigual". Grey estabelece uma relação de controle e poder sobre Anastácia, que somente com o tempo começa a se equilibrar… A "pobre mulher" ingênua e inexperiente que fica completamente à mercê de um homem dominante como Grey começa, aos poucos, conquistá-lo afetivamente e torná-lo tão vulnerável quanto ela. Eu só não tive paciência para aguardar isso acontecer, haha. O início do romance deles não me atrai, mas é interessante – como você bem explorou – que em 50 Tons vejamos o amor libertar Anastácia de uma vida sem graça, na qual sentia não ter "poder sobre nada", e libertar os sentimentos de Grey (o vínculo que há muito não estabelecia com ninguém). Aos poucos vemos que Anastácia passa a ter poder sobre Grey também… E penso que nessa ocasião realmente o amor se constrói.

    Enfim, é minha opinião. Isso não torna 50 Tons um verdadeiro exemplo de contos de fadas… Não é. Infelizmente, muitos homens exploram as mulheres sem sequer conhecê-las – e muitas mulheres deixam-se serem exploradas por não terem segurança para negar esse tipo de relacionamento. Se um verdadeiro romance surgirá disso, francamente, dependerá de cada um. Mas dizer que é totalmente fictício é ser ingênuo também. :/ Aliás, outra coisa que acho que não deveria chocar o povo é o sexo. O que um casal faz entre quatro paredes, sendo consentido e realmente dando prazer um ao outro, é problema dele. O importante é haver clima, envolvimento e respeito.

    Beijos!
    http://myqueenside.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário. Obrigada por ele.
      Concordo completamente com sua colocação final.

      Excluir
  11. Estou apenas ouvindo superficialmente os comentários causados por causa dessa estreia sensacionalista...

    http://www.viagensdepapel.com/

    ResponderExcluir
  12. Vou ser sincera aqui mais uma vez como fui em tantos outros blogs: NÃO AGUENTO MAIS!!!!!!!!!!
    Para mim chegar deste dois, pois não vejo amor em lugar algum. Apenas obsessão e medo de perder e uma mulher se submetendo a um "amor" que para mim não dá

    Beijos Fê
    http://www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bom?

    Sabe essas relações de dependencia afetiva também podem ocorrer com pessoas com poder aquisitivo menor. É o caso do cara feio, mal educado, violento, que não tem nada a oferecer, mas a mulher continua ali, o que será que motiva? Eu nao discuto muito esse livro porque nao o li e também nao vi o filme, apenas comento sobre o que as pessoas escrevem e discuto com algumas amigas que leram o livro, os comentários sao inesperados....talvez seja a oportunidade de algumas mulheres conseeguirem falar sobre sexo, com pretexto de comentar sobre um livro de modinha... o que eu observei por ai é que muitas mulheres realmente esquecem o lado controlador do Grey, nem cita o sadomasoquismo, e fala do livro como se fosse um livro de romance com cenas de sexo descritas... quando fiquei sabendo sobre o sadomasoquismo nem acreditei, pois considerava só o lado romantico que algumas mulheres descreviam... algumas delas, pegando o gancho do livro, conseguiram falar sobre coisas que as aprisionam como: "nunca tive orgasmo". Muitas mulheres vivem em relacionamentos semelhantes e estão tão paralisadas que nao conseguem vislumbrar algo melhor para a vida delas naquele momento. Homem controlador e mulher com autoestima baixa é o casamento perfeito para a construção de uma relação doentia, até que um dos dois acorde e se levante para mudar isso, geralmente o rompimento... pra finalizar queria dizer que eu nao curto sadomasoquismo, nem homem controlador, pode ler lindo e rico, prefiro meu arroz com farinha e paz de espirito rs bjos

    CarolMello.com

    ResponderExcluir
  14. Andreza o quanto Grey nos encanta, menina acho que é um conjunto de n motivos, para quem leu todos os livros, a história de ambos é de amor, um amor tumultuado concordo, e digamos bem diferente, acho que o diferencial que fez todo esse sucesso foi mesclar tudo, misturar, amor, sexo, tapas, problemas de infância e um lindo final feliz. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  15. Amei seu texto Andreza... Sou fãzaça de quem coloca sua opinião e sustenta.. Minhas resenhas são sempre carregadas disso... Nunca li 50 tons, não por nada, simplesmente nunca senti vontade... Mas não tenho nada contra quem leu, curtiu e tal... Quem bom, eu fico tão feliz qdo encontro um livro que gosto mto, então acho legal para os outros tb...
    Vc comentou que os personagens são pobres e a escrita rasa, achei bem pertinente, uma crítica de estrutura, mas qdo estamos falando da história em si, eu acredito que rasa mesmo são as opiniões de quem critica um livro com base apenas em sua visão de seu mundinho... Pra criticar tem que estar aberto e receptivo... Por isso adorei que vc "chutou o balde" hahahaha
    Ótima resenha

    Bjos
    escritaseleituras.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito Obrigada Pamella, fico feliz com seu comentário.

      Excluir
  16. Oi flor!
    Menina choquei agora com esse texto!!!!!!!!!!!!!! Cara li o texto correndo aqui e tipo concordando com tudo que você escreveu hehehe. Tudo é motivo de polêmica nesse mundo de meu Deus :P

    Eu curto muito a história de Grey e Annastasia! Me julguem mas o que não posso fazer é mentir ¬¬

    Amei mesmo o post! Muito bem escrito! Parabéns moça!
    Beijocas da Deebs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada!!! Que bom que tenha gostado :)
      E é isso ai. Doa em quem doer, nossos gostos literários pouco interessam aos outros. bjs

      Excluir
  17. Oie, tudo bom?
    Não li os livros e não vou assistir os filmes, mas discordo quando as pessoas falam que apenas as mulheres frustradas gostam da história hot mais falada dos últimos tempos. Como você disse, que mulher não quer um cara lindo, rico e apaixonante. Ele é o espelho dos desejos femininos e não vejo problema nenhum nisso porque muitos só criticam por motivos machistas. Não sei sobre a escrita do livro, pois não li, mas gosto é algo que não se discute.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Andreza, tudo bem?
    Já li o primeiro livro da trilogia, mas o abandonei, achei um livro sem conteúdo com o passar das páginas só via mais e mais cenas de sexo. Não me atrai por nenhum personagem, tampouco o livro e com certeza não irei pro cinema assistir. Esse gênero e minha pessoa sofrem diversos atritos, rsrs.
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Esse assunto é bem polêmico mesmo. Eu sou uma das que se encantou com a história.
    Além de ter o novo que é o BDSM, esse foi o primeiro livro que li desse tema. Tem o amor envolvido, onde Ana consegue quebrar as barreiras de Chrystian. A cada capítulo a gente fica mais curioso pra saber o desenrolar da história.
    Eu não gosto de discutir muito isso, por que gosto é diferente para cada um.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Eu gostei do livro e do filme! É um sucesso pois mostra o sonho de toda mulher, transformar um homem através do poder do amor.

    ResponderExcluir
  21. Andreza, que texto f***! Vc está certa em tudo o que diz, e minha opinião corrobora a sua: adoro os livros, mas entendo que Grey não é o príncipe idealizado pelas mocinha sonhadoras. Pelo contrário, ele é bem problemático, mas Ana tbm é, e essa problemática toda se encontra e se ajusta, a ponto de conseguirem construir uma história de amor verdadeiro. O problema todo é que muita gente lê apenas pq é modinha, e não sabe defender ao atacar com propriedade, e pior, muita gente nem lê e põe seu monóculo na cara para falar mal de algo q não conhece. O me atrai em Grey? O lado doce, q fica 90% do tempo escondido, mas q existe sim: gosto qdo ele sai do seu casulo e se deixa sentir, se deixa levar pelo momento e pelo pouco q Ana lhe oferece. Ela é bem sonsa, mas como vc disse, é só um livro, pura ficção, e na ficção, tudo é possível! Não vamos levar os acontecimentos para nossas vidas nem para dentro de nossas casas (ok, talvez algumas pessoas levem, rsrsrs), mas isso não nos impede de ler os livros e até ver o filme rídiculo, e se sentir atraída por Grey. A escrita é muito pobre, os personagens são muito rasos, mas e daí? Se eu quiser profundidade e escrita rebuscada, vou ler Saramago.
    Td mundo tem o direito de concordar ou discordar com o q vc escreveu, e até com o q eu escrevi no meu blog, mas td mundo tbm tem o direito de se expressar, e de gostar do q quiser.
    Gostei demais do texto, e não conhecia seu blog até então, estou seguindo ;)

    Bjos!

    http://seiqueeusei.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...