Não Acorda Alice! Como Garantir Minha Sanidade?

Hoje é domingo, normalmente não há postagens no Café no domingo, mas a necessidade gritante de garantir minha sanidade me trouxe até aqui, neste dia ensolarado, pós carnaval.

Eu deveria estar estudando, sim, sim, sim, me preocupando com mestrado e garantindo uma vidinha mais tranquila, porém estou em casa, comendo como uma "lombriguenta" desesperada, migrando da sala para o quarto, do quarto para cozinha. Dizem que o tédio sempre foi o melhor amigo do homem, grandes invenções devem ter surgido no momento de puro ócio humano, porém tenho a impressão de que estar "lagartixando" o dia inteiro pela casa não me levará à alguma grande descoberta hoje.  

Você deve estar se perguntando o que tem com isso, ou onde quero chegar? Bem o que pretendo mesmo é garantir minha sanidade, escrever faz parte disso, o que já é muita coisa, depois de acordar e ler que 1/3 da população masculina em idade universitária se declara estuprador, 1/3 diz que não estupraria se não fossem as consequências, o que só sobra um 1/3 de homens, então a conclusão é: se já existem menos homens que mulheres esse número é ainda menor pois de todos que existem só 1/3 presta. E você deve estar se perguntando: "com tantas implicações embutidas nessa informação a louca ta falando que está faltando homem?" Bem, não estou muito sã neste momento. Ando querendo viver protegida pela maldita alienação que tanto condeno para os meus alunos. Não quero lembrar que culpam meu ventilador pelo provável e vindouro aumento de 70% na minha conta de luz. Pow, os caras já encareceram minha cerveja, minha Coca-Cola Zero. Sabe quanto custa uma cerveja decente? Adeus Tripel  Karmeliet.

Ah para!! Não diz que eu deveria me preocupar com coisas mais importantes que meus prazeres pessoais, que eu deveria ter um discurso mais politizado, PARA!! Não quero. Hoje não. Hoje quero folga da professora de História. Quero ouvir meu samba e ler meus livros. Quero ser tragada para o universo de amores incríveis onde dois terços da população masculina não seja de estupradores. Onde eles sejam cavalheiros e maravilhosos como "Ian em Perdida", que adolescentes derrubam governos corruptos em linhas distópicas. Mais uma dose de fantasia por favor, porque a realidade está f...

Marido me diz que deveria ler menos "livros desimportantes" e me dedicar à imensa fileira de títulos acadêmicos que ocupam a estante...Desimportantes para quem? Para minha saúde mental eles são fundamentais. Não. Hoje eu troco Foucault e Bourdieu e todas as suas teorias por Suzanne Collins, troco jack le goff e Hilário Franco Junior, com todos os seus conhecimentos sobre a Idade Média, por R.R.Martin. Me julguem. Que a comunidade acadêmica me crucifique, (se é que ateus fazem isso...rs) Mas quero fantasia, mundos de sonhos possíveis de finais felizes. 

Amanhã é segunda, amanhã eu visto novamente o nariz de palhaça de cidadã brasileira e a carapaça de professora de História. Mas só até as 16:00 horas, depois disso eu corro pra areia e para água salgada, volto para meus "livros desimportantes" até a hora de dormir.(se der tempo claro, porque até o bendito horário de verão me tiraram. Outra que não entendo, se energia está tão escassa, qual a vantagem de escurecer mais cedo?) E sigo por mais uma semana de mundo real, doído, e esquizofrênico, que como bem ressalta Cortella, anda tão normal que as pessoas saem de casa para comer comida caseira em restaurantes.

Haverá quem, diga quando ler isso: " Essa ai lê para fugir da realidade", contudo eu afirmo categoricamente "filhão", leio para suportar os desencantos da realidade. Ual!! poetizei? Todo mundo tem sua válvula de escape, talvez você dance e beije um bocado em uma boate lotada até seus músculos ficarem cansados, talvez beba até sentir uma zonzeirinha anestesiante, quem sabe sente no sofá e assista ao comendador, pode ser que seja um viciado em adrenalina e endorfina liberada por exercícios físicos. Eu? Eu leio, escrevo e isso meu amigo, isso garante minha sanidade, ou pelo menos, algo que posso classificar como tal.


Comentários
34 Comentários

34 comentários:

  1. Obrigada Loudes!! Me deixou feliz com seu comentário. Alguém me compreende...rs

    ResponderExcluir
  2. Falou tudo, com a leitura também fugimos desse mundo tão bagunçado. E quanto ao que seu marido falou, já ouvi isso do meu também. Rs. Não sabem de nada, inocentes. Esse texto foi um bravo desabafo! Amei...

    beijos!

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente um desabafo...rs.
      Pois é, maridos, o que sabem da vida né?rsrs
      Volte mais vezes.

      Excluir
  3. Olá
    Poxa, lindo texto e concordo totalmente hahaha
    Você escreve muito bem e é sempre bom fugimos um pouco, adorei o post.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2015/02/resenha-o-lado-bom-da-vida-matthew-quick.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que gentil Catharina.
      Obrigada! Volte mais vezes. :)

      Excluir
  4. QUE TEXTO LINDO CARA! Tô apaixonada, sem palavras. A literatura não nos faz fugir da realidade, e sim nos abre a mente que tudo pode ser melhor. Livros e histórias são fundamentais, como você disse, até para a sanidade mental de cada um. As páginas e palavras podem nos dar lições valiosas de como reagir, como melhorar nosso universo servindo de exemplo. Sem palavras para descrever o quanto amei esse texto.
    Beijos! | Zombie Effect

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vân, Fiquei feliz em saber que tenha gostado tanto. Foi um desabafo meio atropelado. :)
      Volte mais vezes.

      Excluir
  5. Adorei seu post. Concordo plenamente com você sobre a importância de certo tipos de histórias/leituras para garantir não apenas a nossa sanidade, mas nosso entusiasmo e bom humor. Acho que livros acadêmicos ou de autores renomados com filosofias densas são importantes e nos acrescentam muito, sim. Mas acho que tudo deve ser feito de forma balanceada. Não vou ler esse tipo de livro pra relaxar, vou ler quando quero acrescentar algum tipo de conhecimento à minha vida. Não concordo nem um pouco com a atitude de várias pessoas de que você se torna uma pessoa mais rasa por ler certos tipos de livros. Sinceramente, isso é papo de quem quer aparecer e se mostrar cult, quando na maioria das vezes nem é. Enfim, eu amo fantasia, amo terror, amo distopia e não vou parar de ler só porque alguém deu sua opinião dizendo que não vai me acrescentar em nada, pois me acrescenta muito sim. Me deixa feliz, relaxada, de bom humor e capaz de suportar esse tipo de pessoa que julga os outros a partir de seus gostos. Essa é a minha opinião :)

    Parabéns pelo texto!
    Beijosss
    bookspoison.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ursulla.
      Bom saber que não sou a única. Volte mais vezes.

      Excluir
  6. Oi, Andreza!
    Adorei o texto. Eu também escuto coisa parecida aqui em casa. rsrs
    Mas eu nem ligo, a leitura me ajuda de diversas formas, e muitas vezes me manteve sã.
    É uma das poucas coisas que faço única e exclusivamente por mim e isso ninguém vai me tirar.
    Adorei seu texto!

    Beijinhos
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  7. Uau, que super texto!

    Vivo um pouco do que discorreu aqui, deixando os acadêmicos por 'outros'. Também troquei Foucault e por duas vezes, desisti do mestrado na federal... Enfim... não me arrependo!
    Mas, esta semana, estava sentindo falta dos livros acadêmicos, talvez um pingo de esperança esteja pairando... hehehehehehe... A verdade é que temos tantas responsabilidades sociais que simplesmente ficamos cheias. é tanta informação como a que citou dos universitários, que dá desânimo, então, a literatura nos ajuda a aliviar a pressão. Ao menos, é assim que me sinto.
    Bjs.
    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Andreza, desculpa, mas dei boas risadas com seu desabafo. A parte da lombriguenta foi muito boa, até porque minha irmã vive falando que faço isso...
    Nossa realidade anda tão horrível, que o mundo dos livros não só mantém a sua, mas a nossa sanidade, como também a esperança que as coisas mudem.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Olá Andreza
    É isso que vivo tentando dizer para as pessoas que criticam o fato d eeu ler muito, e muitos livros de fantasia.
    Se não fosse pela leitura e pelos meus livros... Eu estaria realmente doida nesse mundo

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom?
    Foi um desabafo e tanto esse!
    Acho que você tem razão, em algum momento da vida nós temos que abstrair de alguma forma! O Brasil está passando por um momento complicado. O nariz de palhaço virou vestimenta obrigatória? Queria dizer que não, mas está complicado.
    Dá vontade de jogar tudo pro alto!
    Bjs

    www.horadaleitur.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. muito legal, todo livro não deixa de ser menos importante, e lemos sim como uma valvula de escape, ah quem jogue video game para fugir da realidade
    http://clubedabelezaemaquiagem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Gostei de você ter abordado o fato de existir "literaturas desimportantes". Para mim, tudo é importante, só que depende de quem é o leitor, do que ele já viveu e do que ele espera do que lê. Eu cresci lendo romance YA, muitos podem achar que já passei da idade para lê-los, mas é o que mais me inspira a "fugir da minha realidade". E quem é que pode nos condenar por ter um escape, né? Adoro textos acadêmicos, confesso que, às vezes, sinto que sou uma das únicas da turma que se interessa por eles, mas a literatura "de lazer" reflete muito mais quem somos e o que queremos da sociedade. Mas acho que qualquer coisa que leiamos pode contribuir para nos fazer crescer, afinal, é a qualidade que nos define.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Olá =)

    Parabéns pelo desabafo, costumo fazer muito isso no blog. HAHAHAH Eu não acredito em leitura "desimportante", acredito em leituras leves e divertidas para relaxar. Afinal, a influência dos livros variam muito de acordo com o meu humor. Não sou muito adepta aos YA, mas vira e mexe me pego lendo um para sair da mesmice. É bom variar. Na época da faculdade eu era a que menos tinha dificuldade com os textos acadêmicos, mas sempre são válidos. Ainda assim, prefiro as leituras de lazer. Parabéns pelo texto!

    Beijos, Rob

    ResponderExcluir
  14. Oii, tudo bem?
    Palmas para vc! Falou tudo que fica engasgado aqui e em muita gente, tenho certeza....o que ás vezes falta é coragem de falar...
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi, Andreza. Uau, você transmitiu em palavras o que há tempos já venho sentindo. Às vezes é preciso deixar tudo de lado e embarcar em histórias desconhecidas para buscar um pouco de esperança, que tanto anda faltando. O que para muitos, como você mesma disse, é "desimportante", para nós nada mais é do que um escape, um modo de extravasar toda a injustiça e o que vemos de errado no "mundo real". Além disso, fiquei estarrecida com os dados que você colocou no seu texto :\ Tomara que esses que fazem parte dessas horríveis estatísticas também procurem por sua sanidade. Beijos!

    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
  16. Oi! Menina, que post foi esse? haha Colocou para fora um pouco do que a maioria deve sentir.
    Já ouvi muito sobre essa coisa de não ler livros relevantes, e procurar algo que realmente irá me conduzir para uma vida de cidadã melhor, mas pra que? As vezes eu acho até bom viver na ignorância; Vai dizer que aquela tiazinha que não teve nenhum acesso a educação não vive um pouco mais feliz sem saber ou compreender as coisas que acontece ao nosso redor? Claro que isso não vai mudar o mundo, mas acho que as vezes devemos fechar nossos olhos e viver no nosso mundinho de fantasia. Beijos.
    Blog Cantar Em Verso

    ResponderExcluir
  17. Meu deeeeus, esse post é incrível. Falou o que eu penso, minha mãe tava debatendo isso comigo alguns dias, vou até mostrar à ela.

    Beijos, Ahri.
    http://dois-players.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Que texto incrivel!!!!! Posso assinar embaixo? Você escreve muito bem!! Parabens... e teve a capacidade de falar tudo o que penso a respeito.


    beijos
    http://livrosetalgroup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Adorei.
    Porque me sinto da mesma maneira, acho que sem o mundo da leitura para me refugir já teria enlouquecido.
    Texto maravilhoso.
    Beijos
    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  20. Adorei o texto... Muito do que eu sinto e ouço das pessoas às vezes .. Mas a realidade é tão dura e cruel, porque não fugir um pouco?
    Beijos
    Colecionando Livros

    ResponderExcluir
  21. Aaah que texto bacana, sério *-*
    Eu fico aqui em casa sem fazer nada, porque estou desempregada e assim como você quando não faço nada sinto que não irei ter uma grande descoberta, preciso me mexer, comer alguma coisa e então fico do quarto para a cozinha, da cozinha para o quarto kkkk Muitos dos meus professores antigos julgavam esses livros "desimportantes", falavam que eles não acrescentam em nada, mas eles são importantes, eles nos permitem ir para outros lugares, viver em um mundo melhor, né? Claro que temos que ter limite naiimaginação, mas os livros que eles julgam "desimportantes" são importantes para mim e mais n pessoas. Enfim, eu adorei o seu texto mesmo, continue q escrever s2

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Adorei o texto e entendo o que você quer dizer!!! Amo o que eu escolhi estudar e passo horas com o nariz nos livros de Direito com o maior prazer, mas o tempo em que eu leio algo leve é algo impossível de trocar!! Acho que todo e qualquer livro tem algo a nos acrescentar, mesmo esses julgados "desimportantes", eles podem fazer nascer um interesse pela leitura naquele que torcia o nariz para os livros, podem nos tirar uma dúvida em como certa palavra é escrita, podem nos fazer sonhar com outras épocas e costumes diferentes...enfim! Adorei o post!!


    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. Realmente, olhar a realidade não é deprimente como desencorajante e os livros nos permitem esse escape do mundo real. E sinceramente só os livros julgados por outros como "desimportantes" conseguem essa proeza. Acho que qualquer um que não tivesse algum escape já teria perdido a sanidade, além do mais se preocupar com coisas como o preço da cerveja e com a falta de homens tão maravilhosos como os literários faz parte. Adorei o desabafo.
    Beijos.
    doisdedos-deprosa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi, adorei. Ler é minha terapia ocupacional, como sempre digo, e acho que posso dizer, como você, que é o que me mantém sã.
    Infelizmente vivemos em uma sociedade ainda muito machista, e o resultado são cretinos como esses. Assim como aqueles que dizem que "não bateriam na mulher X porque ela é bonita ou porque é mulher", bom, você não pode bater porque é uma pessoa, ponto! E nada dá o direito de alguém agredir, humilhar, estuprar ou fazer qualquer coisa assim com os outros.
    Eu também não uso a leitura para fugir da realidade, mas sim para me distrair e conseguir lidar com ela
    beijos
    meumundinhoficticio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Olá

    Primeiramente me abrace srta. professora de História haha (vou começar o primeiro período de História assim que o lindo governador do meu estado garantir que a universidade onde estudarei tenha condições necessárias para sua sobrevivência e meus professores tenham salário, enfim) Adorei a crônica que trouxe ao seu blog, tem uma música da Pitty de seu novo álbum que fala muito sobre essa coisa de se cobrar e querer se libertar um pouco e parar de se preocupar com tudo. Isso mesmo, vamos ler nossos livros e ouvir nosso samba e nos despreocupar um pouco com as coisas. Merecemos um descanso no meio dessa selva de pedra em que vivemos.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  26. Olá Andreza!
    Adorei seu texto! Nesta correria do dia a dia, de tanta cobrança e responsabilidades é para as páginas dos livros onde encontramos nossa válvula de escape, seja na Idade Média ou em um futuro distante.
    Abraços

    www.estantejovem.com.br

    ResponderExcluir
  27. Olá Andreza. Adorei o texto e posso falar que te compreendo.
    As pessoas não entendem que a leitura por prazer é algo que salva nossas mentes de se afogarem no meio de tantas coisas que, essas sim, são desimportantes. No meio da minha monografia eu me agarrei a leitura em todos os momentos que pude, se eu não estivesse caindo de sono. Mas é isso ai. Colocou tudo pra fora? Agora é respirar fundo e, como você mesmo disse, colocar o nariz de palhaço para voltar a vida cotidiana. Já que não tem outra saida mesmo..

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  28. Entendo perfeitamente isso de ler para suportar os desencantos da realidade... não é à toa que meu gênero preferido é a fantasia, tá difícil demais aguentar tudo que acontece por aí. Essa estatística de quantos se declaram estupradores ou aspirantes a estupradores me deixou aterrorizada, que coisa absurda! A única coisa que discordamos é quanto ao horário de verão, para trabalhar às sete da manhã eu acho muito melhor quando ele não está valendo, nunca me acostumo e tenho vida de zumbi por quatro meses.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  29. Oi, Andreza!
    Belo desabafo!
    Aliás, concordo com cada palavra.
    Pois, muitas vezes me sinto assim...

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...