Resenha: O Penhasco


Mistério, romance e fantasia, essa é a promessa de Carine Raposo para seu livro. Vamos conferir se ele cumpre o que se propõe? Vem comigo para O Penhasco.


O Penhasco
Carine Raposo



Editora: Cadmo
Páginas: 304
Edição: 2014 


Sinopse: “Teria sido uma noite como qualquer outra, se ele não tivesse aparecido. E se eu não estivesse completamente sozinha. Com um estranho em um Penhasco e sem lembrar de como fui parar ali. Me assustei quando ele se materializou à minha frente. Nunca vi olhos iguais. Verdes, como esmeraldas.
Meu medo se tornou ainda maior com meu próprio desejo, que me preencheu inexplicavelmente em um segundo ou menos. Mas seu olhar me provocava uma sensação incômoda. Parecia gritar que  alguma coisa muito ruim acontecia naquele instante. Ainda assim, demorei a me convencer. Não podia ser real. No início, pensei que tudo fosse apenas um sonho. Quando despertei, já era tarde.”

Liza se encontra num emaranhado de problemas, tentando manter-se de pé após o desaparecimento de seus pais, sendo a única responsável por ela e sua irmã, que mais atrapalha do que ajuda,  morando de favor na companhia de amigos e trabalhando de garçonete em uma pequena cidade. Deu para perceber que a vida da moça anda totalmente descarrilada. As coisas pareciam não poder estar mais complicadas, até as suas misteriosas idas ao penhasco. Um local para o qual Liza se vê transportada em seus sonhos e onde ela encontra Nathaniel, um rapaz intrigante e sedutor. O amor entre eles é arrebatador, porém as consequências desta relação também. A medida que se aproximam fatos assustadores  se revelam. 

Senti falta de conhecer mais sobre a vida de Liza antes do desaparecimento de seus pais, perceber as drásticas mudanças que este episódio trouxe para a protagonista. Acredito que este aspecto deveria ser um pouco mais trabalhado. 

Um fator positivo é a narrativa do romance que é feita de forma alternada entre os pontos de vista de Liza, Nathaniel e alguns poucos capítulos são narrados em terceira pessoa. Este recurso de escrita, garante um gancho à curiosidade do leitor e o fator surpresa à história. A escrita é leve e capítulos são curtos, outro recurso que garante o ritmo de leitura. A trama demora um pouco a se desenrolar, o que acontece já pelo meio do livro, a partir de então a história fluí com muitos pontos de suspense e mistério:

"Tentei me convencer, mas o ar me dizia o contrário. Ficou estático, pesado. Minhas costas enrijeceram, eu poderia jurar que havia alguém atrás de mim. Meu pulmão ardeu com cheiro de sal, de terra e de orquídea. Fiquei imobilizada naquela posição. O pânico se alastrou por minhas veias, eu estava aterrorizada demais para me virar. Pelo reflexo na panela que eu segurava, vi uma sombra se mover na porta. Um vulto. (...)"

Romance também é uma constante, sendo o elemento mais presente e satisfazendo aos amantes do gênero.


" - Prometo que vou esperar você. - Eu me rendi quando perdi o fôlego.
- Obrigado. Algo me diz que nossa noite será maravilhosa. - Ele me puxou pela nuca e colou os lábios nos meus.
Meu corpo gritou de ansiedade com as juras que seu beijo me fez."

Muitos personagens povoam a trama e não será difícil gostar e odiar alguns deles. Optei por citar: Ben e Amanda, amigos de Lisa, são os elementos divertidos. Raquel, sua irmã será odiada por qualquer leitor, Liza oscila entre a força e a fragilidade, Nathaniel é o perfeito cavalheiro e Ethan é misterioso. 

O livro termina em aberto, com muitas questões não respondidas, ou seja, será necessário aguardar a continuação, na qual a autora já está trabalhando e é claro, esperamos que não demore, ou vai ter muita gente suspirando de saudades de Nathaniel.

Se você está curioso para saber mais sobre o penhasco pode entrar em contato direto com a autora pelo Facebook e /ou ler um pouco mais sobre ele no Skoob







Comentários
14 Comentários

14 comentários:

  1. O livro parece ser interessante, apesar de eu não me interessar muito por romances. O que me chama atenção é o suspense na história, pois gosto muito de livros em que eu não consiga imaginar o final. Só acho estranha essa forma de narração da história, que uma hora é em primeira pessoa e outra em terceira pessoa. Isso não fica esquisito?

    Leitores Forever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só lembro de ter lido um livro em que há essa alternância entre primeira e terceira pessoas. Christine, de Stephen King. Achei estranho num primeiro momento, mas o fato é que funcionou muito bem. Não li O Penhasco, mas é um recurso interessantíssimo, se bem utilizado :)

      Excluir
    2. Já eu adoro!! Essas ferramentas contribuem para manter o ritmo de leitura. Gosto muito de certos recursos que contribuem para uma leitura prazerosa.

      Excluir
  2. Olá.
    Ainda não havia lido nenhuma resenha sobre esse livro, mas a história é ate interessante, mas não me chamou tanto a atenção. Um fator que eu achei positivo foi a narrativa em primeira e terceira pessoa intercalada, pois dá uma visão ampla ao leitor sobre a historia. Gostei da resenha.
    Desejo sucesso a autora.

    Beijos
    Carolina
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. A história é interessante, mas achei o romance água com açúcar rsrs e desses eu já enjoei um pouco. Sua resenha foi muito boa.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Andreza!
    Já tinha ouvido falar sobre este livro, mas é a primeira resenha que leio sobre.
    Parece ter os elementos fundamentais para um bom livro: mistério, romance e fantasia...
    E a forma alternada escolhida pela autora para narrar a história, também é um ponto positivo.
    Fiquei curiosa!

    Beijos!
    http://fabi-expressoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie, Andreza *-*
    Apesar de amar romances, fantasia e uma pitada de mistérios, infelizmente esse livro não me chamou muito a atenção.
    Leria, claro, mas sei lá.
    To meio dividida.
    Se eu achar algo mais desse livro e achar interessante, acho que leio.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi Andreza!!
    Bom, eu gosto de mocinhos cavalheiros, como você disse, então acredito que vou gostar... Tenho ido muitos livros nacionais e gostado bastante.... Sem contar que a capa é linda...

    Beijos
    Natana
    Colecionando Livros

    ResponderExcluir
  7. Eu também só li um livro que alterna primeira e terceira pessoa na narração e foi um nacional do qual não gostei. Então acabou que pela estória e o estilo de escrita não terem me agradado, essa "ferramenta" de alternar não ajudou em nada. Vou tentar novamente com outro livro. Esse O Penhasco não vai ser o primeiro da fila pois vc disse que é uma série incompleta né? Tenho esperado os autores terminarem de escrever as séries para começar a ler. Vou colocar esse na lista e ficar aguardando! :D

    Samara - Infinitos Livros

    ResponderExcluir
  8. Oie, Andrea.
    Mocinhos cavalheiros, galantes e tudo? Não sei se gostarei </3 Pra mim ou tem de ser em primeira, ou em terceira.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oii, tudo bem?
    O meu "O Penhasco" chegou aqui ontem, faz tempo que aguardava ansiosamente a publicação, sempre acompanhando pelo facebook da Carine, pena que vou demorar um pouco para ler...
    Sua resenha me deixou mais curiosa ainda, rsrs, e essa capa é linda demais!
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Confesso que nunca tinha ouvido falar nesse livro, nem ao mesmo ouvi falar sobre essa editora, mas achei a capa bem bonita. No entanto, esse livro não parece ser do tipo que me agradaria no momento, eu gosto bastante de romance, mas não sou lá muito fã de romance com fantasia :c Mas gostei bastante de alguns pontos que você destacou, acho muito bacana quando a narrativa é feita de forma alternada entre os personagens, isso nos dá um entendimento melhor do que eles estão sentindo e tudo o mais, né? Enfim, gostei bastante da resenha, mas por enquanto eu dispenso a leitura desse livro.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Não lembro de ter lido nenhum livro com tantos narradores diferente rsrsrs. Estou bem curiosa para saber como a autora fez isso.
    Gosto de quando o autor faz os capítulos curtinhos, pois a leitura se torna muito mais rápida, como disse. Até agora só encontrei esse recurso nos livros do (meu mestre) Dan Brown.

    Beijos,
    Karina do blog Eu e Minha Cultura .

    ResponderExcluir
  12. Muito legal sua resenha. Achei bem interessante a história deste livro e sinceramente gostaria de lê-la. Gosto de histórias que misturam romance e mistério. Parabéns pela resenha^^

    Aproveito pra convidá-la a conhecer nosso livro^^

    http://alinefevalmirjunior.blogspot.com.br/2014/12/book-trailer-temores-no-mundo-dos-mortos.html

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...