Resenha: O Tímido e as Mulheres.

Que tal uma leitura que retrate uma cultura da qual você não está acostumada a ler? Essa foi a minha busca ao procurar por Pepetela, autor angolano. Curioso (a)? Vem ver  que achei.


O Tímido e as Mulheres.
Pepetela


Editora: Leya
Páginas: 303
Edição: 2014

SinopseLuanda nos dias de hoje. Acompanhamos Heitor, um escritor em início de carreira, o tímido. Ouvimos a quente voz de Marisa, responsável por um programa de rádio de grande audiência, que a todos encanta e seduz. Conhecemos Lucrécio, seu marido, uma mente brilhante aprisionada numa cadeira de rodas. É este o trio que une as diversas histórias e personagens deste romance. Além dele, encontramos ainda os amigos de Heitor, o Senhor do Dia 13 e os habitantes da periferia de Luanda- a grande família de Dona Luzitu e, em especial, a bela Orquídea, outra das poderosas mulheres que habitam este livro. Todos eles nos conduzem por uma cidade que fervilha e cresce a um ritmo alucinante, onde os homens se apaixonam, sonham e se desesperam, procuram novos caminhos, novas formas de vida e novas soluções. Com a sua habitual maestria, Pepetela volta a surpreender com este romance, desenhando uma paisagem imparcial e objetiva da atual sociedade angolana, fruto de muitas mutações culturais e políticas derivadas da sua história recente.

Meu interesse por este livro se deu pelo fato do autor ser angolano. Queria ler algo que trouxesse uma leitura de mundo diferente. Estava um tanto saturada da visão de mundo norte americana que está inundando o mercado literário no Brasil ultimamente. E o que tenho a dizer sobre ele é que correspondeu as minhas expectativas. 

A trama é narrada em terceira pessoa e nos conta a história de Heitor, um jovem nascido no berço da elite de Luanda. Apesar de formado em História, Heitor não tem pretensões de seguir a carreira e depois de uma decepção amorosa decide se dedicar ao sonho de ser escritor. Nessa nova empreitada o protagonista deixa para trás uma realidade urbana de seu mundo elitista, se isolando no subúrbio de Luanda. E é lá que tem princípio as mudanças de sua vida. No trato com a vizinhança Heitor passa a conhecer uma realidade bem diferente da que vivia em seu apartamento no centro da cidade e também conhece Marisa, uma jornalista radialista, mulher linda, inteligente e bastante atirada, porém casada. A mesma está interessada em conhecer o livro de Heitor e lhe é apresentada por seu amigo Antunes (um dos muitos personagens envolvidos na trama) Lucrécio seu marido, um homem cadeirante altamente instruído e de grande capacidade intelectual vive uma vida tranquila e de cumplicidade com Marisa, por quem é apaixonado e carrega uma grande admiração. Tem-se ai o triangulo amoro por onde se desenrola a trama. Mas não se iluda, não há clichês nessa relação. O autor tem uma escrita leve, fácil e bem humorada. Expõe uma rede de relações a qual vai agregando personagens bem construídos e elaborados. Se dedica a apresenta-los, a nos deixar a par de suas personalidades, motivações e desilusões. A narrativa não é contínua, por vezes alterna capítulos sobre seus variados personagens, o que nos deixa curiosos para saber os desfechos das histórias que se entrelaçam. 

Pepetela nos apresenta uma sociedade onde coabitam os maiores contrastes e em diversas situações identificamos semelhanças com as vivencias de nosso país. A narrativa é recheada de palavras próprias do vocabulário angolano, (o livro traz um glossário ao final) e de ocasiões cotidianas que nos dá uma ideia bastante clara da cultura local. 

Adorei a leitura. É um livro pra ser apreciado sem pressa pela riqueza de detalhes que carrega em cada linha. Infelizmente tirei meia estrela pois achei que o autor se apressou no desenrolar da situação problema que poria fim ao entrelaçamento das várias histórias que acompanhamos durante todo o livro e daria desfecho a todas elas. 








Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...