Resenha: A Menina Que Não Sabia Ler.

A capa é linda né? E a história é maravilhosa, mas não se engane... Nem tudo é o que parece...

A Menina Que Não Sabia Ler
John Harding


Editora: Leya
Ano: 2010
Páginas: 288

Sinopse: Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em segredo. Mas existem mistérios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Quem eram seus pais? Por que Florence sonha sempre com uma misteriosa mulher ameaçando Giles, seu irmão caçula? O que esconde a Srta. Taylor? E por que o tio a proibiu de ler? Florence precisa reunir todas as pistas possíveis e encontrar respostas que ajudem a defender seu irmão e preservar sua paixão secreta pelos livros – únicos companheiros e confidentes – antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas do mundo literário. Ou será que tudo isso não seria somente delírios de uma jovem com muita imaginação?



Não se iluda. A capa e o nome em nada condizem com o conteúdo do livro. Talvez por isso tantos leitores se surpreenderam, tanto positivamente como negativamente, com a trama. 

romantização da capa e do nome para a edição brasileira, em nada se aproxima da edição original. O autor tem como inspiração Edgar Allan Poe e Henry Jame, então já deu pra reparar que este está longe de ser um livro fofo né? 

A história, um suspense gótico, (estruturada e inteligente) é protagonizada por Florence, uma garota de doze anos, que vive em uma mansão com o irmão caçula, a quem tenta cuidar e proteger todo o tempo, e alguns empregados. Seus dias se resumem às ocupações com Giles (irmão) e  a ler secretamente, porém a chegada de uma nova empregada na casa, fará as coisas saírem dos eixos.

A narrativa é feita pela personagem Florence, com quem o leitor vai ficando cada vez mais familiarizado, a medida que se perde junto com ela nos mistérios da mansão e da biblioteca, que é ao mesmo tempo, o grande segredo e refúgio da protagonista. Não demora muito para que o leitor comece a questionar o que é realidade ou fantasia e se veja consumido em saciar essa curiosidade. A personagem vive em um mundo de negligencias e medos internos alimentados pelo imaginário que construiu em sua relação clandestina com os livros. Ao passo que a trama se desenvolve os temores e desconfiaras da protagonista parecem se concretizar. Florence é uma personagem tão bem estruturada que diversas vezes esquecemos que ela é só uma criança.

Ansiedade, confusão, alívio, dúvida, são sentimentos constantes durante a leitura. O autor consegue transformar seu livro em um verdadeiro vira páginas. Eu li em um dia, louca pra saber onde Florence ia parar. 

O desfecho da trama é razão para muitas controversas, ao meu ver, foi perfeito, e não deixou nada a desejar. 

“A menina que não sabia ler”é suspense e aventura que fazem o leitor esquecer da hora.




(...) sentia que estava nos observando, os olhos estranhamente entreabertos, como os de um réptil, por isso eu tinha essa sensação de que ela havia engolido uma cobra ou um lagarto, que estava preso dentro dela, que tinha tomado seu corpo e agora olhava cobiçosamente através de seus olhos.” 









Capas de edições estrangeiras do livro.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...