Resenha: A Batalha do Apocalipse.

Oh coisa boa quando o autor é nacional. ADORO! Quer saber um pouquinho sobre essa batalha dos anjos? Simbora comigo que te conto.


A Batalha do Apocalipse

Eduardo Spohr


Editora: Verus
Ano: 2007
Páginas: 586

Sinopse: Há muitos e muitos anos, tantos quanto o número de estrelas no céu, o paraíso celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o Dia do Juízo Final. Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas. Único sobrevivente do expurgo, Ablon, o líder dos renegados, é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na Batalha do Armagedon, o embate final entre o céu e o inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro da humanidade. Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano, das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval, A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana? é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, repleto de lutas heroicas, magia, romance e suspense. 



Estava bastante indecisa com relação a aquisição deste livro, opiniões controversas a seu respeito me fizeram protelar diversas vezes sua leitura. No entanto, quando a fiz, cheguei a única conclusão que: não há realmente nada na literatura brasileira que se compare a "A Batalha do Apocalipse, mesmo aqueles que não tenham gostado do livro, e que lhe atribuem críticas negativas, são unanimes em afirmar que não há nenhum outro lançamento do tipo no mercado literário brasileiro até o momento.


Para início de conversa, se você pretende se envolver com a história do livro e aproveitar cada linha de fantasia e aventura que ela pode lhe proporcionar, é preciso se desprender de princípios religiosos e encarar a trama de mente aberta, deixe de lado os conceitos dogmáticos, a lógica, a razão, do que foi culturalmente aprendido e se deixe levar pela história.

Eduardo Spohr nos apresenta um universo original e detalhado, povoado por criaturas fantásticas e regido por uma lógica própria, com uma teoria espetacular sobre a hierarquia celestial e infernal. Os personagens, e são muitos, tem suas histórias bem construídas, e é muito fácil constituir uma identificação. Com muitos deles a empatia, ou a antipatia se forma instantaneamente.

Sim, existem clichês, existe previsibilidade em alguns pontos, MASSSS a história supera tudo isso e faz da leitura ser um verdadeiro vira páginas. 

A narrativa não linear contribui para inserir novos elementos a todo instante ao enredo. Ai está, ao meu ver, o que incomodou muitos leitores que alegaram a história demorar muito a ser desenrolar. Contudo acredito estar justamente ai a maestria de Spohr, que com essa técnica de escrita garante a apresentação de vários personagens, expondo personalidades complexas e interessantes, nos aproximando ainda mais de cada um deles a medida que vai revelando suas histórias. 

Todos os elementos para uma aventura emocionante estão presentes na trama. Ação,, suspense, reviravoltas, surpresas, romances e muitas, muitas cenas de batalhas garantindo ação constante. 

Vale a pena ler. Super indico.



Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Meu irmão tem esse livro na estante, pelo tamanho nunca comecei a ler, talvez ele tenha uma chance agora

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...